Como a alimentação influencia na prevenção do câncer colorretal?

O excesso de peso está no topo da lista das causas do câncer colorretal. E não é por acaso. Segundo um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, há fortes evidências sobre a influência da alimentação no câncer colorretal.

A publicação destaca que o alto consumo de carnes vermelhas, bebidas alcoólicas e gorduras está associado ao aumento da incidência do câncer de intestino. Por outro lado, pessoas com hábito de consumir frutas, verduras, fibras e ácido fólico correm menos risco de desenvolver a doença.

A seguir, apresentamos um resumo dos destaques apresentados neste estudo sobre os grupos de alimentos que podem auxiliar na prevenção do câncer colorretal:

Frutas, verduras e legumes

Em uma projeção, na estimativa de prevenção proporcionada pelo consumo de vegetais, pode-se supor que o aumento na ingestão de frutas e verduras pode reduzir a incidência global de câncer em até 31%.

Esse benefício tem relação com os efeitos de compostos presentes nesses alimentos como a vitamina A, E, C, os carotenoides, os antioxidantes, além de selênio, folato tocoferois, flavonoides e ácido fólico.

Quantidade recomendada: Segundo o Ministério da Saúde, o consumo mínimo recomendado de frutas, legumes e verduras é de 400 gramas/dia, para pessoas em idade adulta.

Gorduras

Elas são essenciais para o organismo, mas precisam ser bem selecionadas. Dependendo do tipo de gordura que se consome, o risco da incidência de inúmeras doenças — entre elas o câncer de intestino — é muito elevado.

Isso ocorre porque o consumo de gorduras em excesso estimula uma maior secreção da bile. Os sais biliares, que exercem uma função detergente, podem gerar danos à mucosa intestinal, o que pode estar associado a uma proliferação celular aumentada e desordenada.

Quantidade recomendada: de acordo com o Hospital do Coração, o consumo diário não deve ultrapassar os 66 gramas de gorduras totais, para uma pessoa que consome 2000 calorias por dia, por exemplo.

Fibras alimentares

As fibras alimentares, presentes sobretudo nas frutas, verduras, grãos, tubérculos e raízes, exercem diversas funções no trato gastrintestinal que podem ter relação com a proteção contra o câncer colorretal.

As principais delas são a aceleração do trânsito intestinal — que reduz o contato direto entre eventuais agentes carcinogênicos fecais e a mucosa intestinal — e a absorção dos sais biliares, considerados agentes de surgimento e desenvolvimento da doença.

Além disso, a fermentação das fibras alimentares pelas bactérias da flora intestinal é um processo que leva à produção de ácidos graxos que diminuem o pH do órgão, criando um ambiente menos propício para o desenvolvimento da doença.

Quantidade recomendada: a orientação da ANAD (Associação Nacional de Atenção ao Diabetes) é de 34 gramas diárias para os homens e 28 gramas por dia, no caso das mulheres.

Como adotar uma dieta preventiva deste tipo de câncer?
A mudança nos hábitos alimentares e o combate ao sedentarismo são duas ferramentas poderosas contra o câncer colorretal. No entanto, antes de fazer qualquer alteração na dieta, é importante se consultar com um especialista em nutrição.

INSTITUTO PAULISTA DE CIRURGIA

INSTITUTO PAULISTA DE CIRURGIA

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
E-mail