É possível prevenir o câncer colorretal?

Prevenir o câncer colorretal é possível com a adoção de hábitos de vida saudáveis e, principalmente, com a realização de exames de rastreamento.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, para cada ano entre 2020 e 2022, 40.990 novos casos de câncer colorretal sejam diagnosticados no Brasil. Desses, 20.520 em homens e 20.470 em mulheres. Esse é o segundo tipo de câncer mais comum em ambos os sexos no nosso país, perdendo apenas o câncer de mama nas mulheres e para o câncer de próstata nos homens.

Sempre alerto sobre a importância da prevenção dessa doença e, agora, no Setembro Verde, quero te contar seis atitudes práticas para prevenir o câncer colorretal e mudar esses números. Vamos lá?

Informe-se sobre o câncer colorretal

A maioria das pessoas têm muito medo de ter câncer, mas não se informa sobre a doença e como preveni-la. Isso afasta as pessoas de hábitos saudáveis, principalmente aqueles comprovados cientificamente como capazes de prevenir a doença.

Se a população encara o câncer como um tabu, deixa de fazer exames preventivos e acaba se voltando para “soluções milagrosas” que, na verdade, não ajudam a evitar a doença.

Por isso, a primeira atitude para prevenir o câncer colorretal deve ser encarar essa questão, principalmente se você tem histórico familiar desse tumor. Aqui mesmo no meu blog você encontra diversos artigos sobre o assunto e, no meu Instagram e página do Facebook, tem muito conteúdo informativo sobre a doença.

Faça seus exames de rastreamento de acordo com indicação médica

Para pessoas sem histórico familiar de câncer colorretal ou síndromes hereditárias, é recomendado começar o rastreamento aos 45 anos de idade.

O principal exame de rastreamento do câncer colorretal é a colonoscopia. Nesse procedimento, com o paciente sedado, inserimos um aparelho equipado com uma pequena câmera pelo ânus do paciente para examinarmos toda a extensão do intestino grosso.

Como o paciente estará dormindo, ele não sentirá nenhum desconforto durante o exame, que dura aproximadamente 30 minutos. Durante o exame é possível identificar e retirar pólipos ou biopsiar lesões suspeitas de câncer.
Outra opção de exame para a detecção precoce do câncer colorretal é a pesquisa de sangue oculto nas fezes. Entretanto, se o resultado for positivo, será necessário fazer a colonoscopia para investigar a causa do sangramento.

Não ignore sinais de que algo está errado

Muitas pessoas passam anos com desconforto abdominal, dor para evacuar ou sangramento nas fezes. Acreditam, por exemplo, que o problema é causado por “intestino preguiçoso” ou por hemorróidas, quando nem sempre é esse o caso. Esses sintomas podem ser causados por pólipos ou mesmo pelo câncer.

Por isso, se você perceber algum sintoma como dor abdominal, emagrecimento, anemia, mudança súbita no funcionamento intestinal ou sangramento nas fezes, não faça suposições. Procure um médico coloproctologista e investigue a causa do problema.

Tenha uma dieta saudável e rica em fibras

A alimentação tem um papel muito importante na prevenção do câncer colorretal, principalmente no que diz respeito ao consumo de fibras solúveis e insolúveis. O ideal é consumir pelo menos 25g de fibras todos os dias.

Esse hábito melhora o funcionamento intestinal, aumenta o volume do bolo fecal e a fermentação de ácidos graxos voláteis, protegendo contra a formação de pólipos e, consequentemente, de câncer.

Alguns tipos de alimentos já estão comprovadamente associados a maiores riscos de desenvolver câncer colorretal. Carnes vermelhas não devem ser consumidas em excesso, enquanto as embutidas, defumadas e ultra-processadas devem ser evitadas ao máximo.

Além disso, é importantíssimo ingerir pelo menos dois litros de água por dia, para evitar o ressecamento das fezes.

Pratique atividade física regularmente

Na verdade, a prática de exercícios físicos é fundamental para prevenir diversos tipos de câncer. A Sociedade Americana do Câncer recomenda a prática de pelo menos 180 minutos de atividade física por semana, sendo que o ideal é se exercitar de forma vigorosa por mais de 300 minutos por semana.

O exercício físico aumenta a circulação sanguínea, tornando o trato gastrointestinal mais eficiente na digestão, além de balancear níveis hormonais e diminuir processos inflamatórios.

Por fim, uma vida ativa associada à alimentação saudável ajuda a prevenir o sobrepeso e a obesidade que está associada à diversas doenças, entre elas, o câncer colorretal. Então, não deixe os números da balança subirem descontroladamente.

INSTITUTO PAULISTA DE CIRURGIA

INSTITUTO PAULISTA DE CIRURGIA

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
E-mail